O que é coleta seletiva e como praticar na sua casa

Limpeza | 10-05-2023 | 6 minutos de leitura

Você sabe o que é coleta seletiva? A sustentabilidade é um assunto relevante e que está em pauta no mundo. Consiste em um conjunto de medidas que visam a preservação do meio ambiente, evitando impactos devastadores.

Nesse sentido, desenvolver a consciência ambiental é um dever de todos e pequenas ações fazem toda a diferença para preservar a natureza. Principalmente a coleta seletiva em casa, que evita danos e ainda proporciona vantagens imprescindíveis.

Mas afinal, como mudar de hábitos e colocar a separação de resíduos em prática? Se você deseja saber, veio ao lugar certo! Continue lendo este post e saiba o que é coleta seletiva, como funciona e dicas valiosas para praticar na sua residência!

O que é coleta seletiva e como funciona?

A coleta seletiva é um processo de separação dos resíduos conforme a classe e tipo, para conduzi-los a destinação ambientalmente correta. Essa separação acontece onde o lixo é gerado, como em empresas, vias públicas e nas residências.

Sendo assim, a coleta seletiva tem o foco em avaliar os resíduos conforme a possibilidade de reciclagem e reaproveitamento. Com isso, é possível evitar o descarte inadequado e otimizar a sustentabilidade, fator imprescindível para toda a humanidade.

Tudo funciona de uma maneira muito simples e os resíduos são os seguintes:

  • metais, como latinhas e embalagens;
  • papel e papelão;
  • plásticos;
  • vidros;
  • orgânicos, como resto de alimentos;
  • perigosos, como pilhas, baterias e químicos;
  • não recicláveis, como lixo de banheiro, varrição e outros.

Todos esses resíduos são gerados em excesso em casa e a coleta seletiva visa separar os recicláveis dos não recicláveis, para envio ao destino correto. Uma prática que apesar de simples, faz muita diferença para o meio ambiente.

Quais são os benefícios da coleta seletiva?

A geração de resíduos sólidos sempre foi uma situação que despertou atenção, pois os impactos ambientais do descarte incorreto são devastadores. Trata-se de um problema com potencial para prejudicar todas as formas de vida no planeta.

Nesse contexto, a coleta seletiva é a melhor alternativa para evitar impactos e garantir que todos os resíduos sejam tratados e não descartados na natureza. Uma prática super benéfica tanto em quesitos ambientais, quanto sociais, na saúde e economia.

Veja a seguir, quais as maiores vantagens da coleta seletiva!

1. Melhora a limpeza da cidade

A realização da coleta seletiva contribui para evitar descarte inadequado nas vias públicas, que sempre causam danos severos. Devido à separação, o resíduo tem maior valor e com isso, não é descartado de qualquer forma nas cidades.

2. Permite o processo de reciclagem

O principal objetivo da coleta seletiva é otimizar a reciclagem, processo primordial para a preservação ambiental. A separação permite que cada tipo de resíduo seja direcionado a reciclagem e deduz a exploração de recursos naturais.

3. Evita a poluição do meio ambiente

A poluição do solo, das águas e do ar são prejudiciais à vida e com a coleta seletiva é possível reduzir esses impactos ambientais consideravelmente. Além disso, evita o descarte incorreto — o qual é o grande causador de danos ambientais em todo o mundo.

4. Prolonga a vida útil dos aterros sanitários

Os aterros sanitários são formas de destinação final que devem receber apenas os rejeitos, ou seja, o que não pode ser reciclado. A coleta seletiva contribui para separar os resíduos e evitar o envio de recicláveis, prolongando a vida útil dos aterros.

5. Preserva a vida animal

A coleta seletiva evita o descarte de resíduos na natureza, causando poluição e exigindo milhares de anos para se decompor. Dessa forma, impede que animais sejam afetados e preserva a qualidade dos ambientes naturais.

Como fazer a coleta seletiva na sua casa?

Seja qual for o tamanho da família, as residências são grandes geradoras de resíduos, tanto recicláveis quanto não recicláveis. Especialmente devido ao excesso de embalagens e descartáveis, que despertem ainda mais atenção.

No entanto, a coleta seletiva pode ser implementada em uma residência de forma simples, sem grandes esforços e não exige investimentos elevados. Com pouco, é possível separar cada resíduo e destinar corretamente, contribuindo para o meio ambiente.

Veja a seguir, dicas valiosas para colocar a coleta seletiva em prática na sua casa!

1. Entenda o que é coleta seletiva na sua região

Para facilitar o envio para a destinação correta e evitar acúmulos na sua casa, é preciso avaliar como é a coleta seletiva na sua região. Verifique se há programas municipais de coleta e se não houver, identifique associações para enviar os materiais.

Hoje em dia, muitas cidades realizam a coleta periódica apenas de resíduos recicláveis e saber qual a frequência é essencial. Assim, você pode se programar e garantir que todo o processo aconteça sem transtornos ou dificuldades.

2. Separe o lixo por classe

A separação dos resíduos deve acontecer na sua casa, de acordo com cada tipo e classe de resíduo. Sendo assim, adquira lixeiras identificadas para acondicionar cada tipo com segurança e ainda contribuir para deixar tudo mais organizado e bonito.

Nesse sentido, a separação precisa acontecer rigorosamente para proporcionar uma coleta seletiva eficiente. Além disso, é o ponto-chave para destinar cada classe de resíduo para o destino correto, sem que se misturem e dificultem o processo.

3. Não misture produtos químicos

Os produtos químicos que utilizamos em casa, como itens de limpeza, beleza e outros, não podem, em hipótese alguma, ser misturados com os demais resíduos. Eles têm potencial para contaminar e comprometer o processo de reciclagem dos materiais.

Por isso, separe todos os químicos, inclusive pilhas e baterias, dos demais e coloque-os em recipientes específicos. Dessa forma, você pode garantir que a coleta seletiva aconteça sem contaminações e com resíduos adequados para cada destino.

4. Mantenha o lixo seco

Para evitar a proliferação de insetos e odores na sua casa, é indispensável manter o lixo seco em cada recipiente. Sendo assim, antes de colocar os recicláveis na lixeira, passe água e deixe secar por um tempo, para garantir um acondicionamento correto.

Lembre-se também, de sempre colocar os resíduos orgânicos em uma lixeira com tampa e sem misturar com os demais. Essa prática faz toda a diferença para impedir sujeiras e odores, preservando sua coleta seletiva eficaz, limpa e organizada.

5. Faça a destinação final correta da coleta seletiva

Após separar todos os resíduos em lixeiras diferentes e identificadas, é o momento de começar a pensar na destinação final. Procure uma forma para destinar corretamente e sempre priorizando a reciclagem, enviando para o aterro apenas os rejeitos.

Tenha atenção específica na frequência da coleta dos resíduos recicláveis e garanta que sejam enviados para o destino correto. Evite deixá-los em qualquer lugar e se necessário, procure associações e leve os materiais para se certificar de sua reciclagem.

A coleta seletiva é uma ação necessária e proporciona diversos benefícios, inclusive auxilia muitas pessoas como fonte de renda. Sendo assim, adotar esse bom hábito é primordial para contribuir com o meio ambiente e com um futuro mais sustentável.

Como se pode notar, saber sobre o conceito e colocá-lo em prática é primordial e auxilia na sustentabilidade. Portanto, comece agora mesmo a mudar hábitos e contribuir para uma causa que beneficia a todos, inclusive às futuras gerações.

Gostou de saber o que é a coleta seletiva? Então, acompanhe os nossos perfis no InstagramLinkedIn e Facebook para ver muito mais!

Compartilhe nosso conteúdo